Mídia da capa

02/03/2021    437 visualizações

Suspeito de matar e ocultar corpo da mulher é preso pela PCMG

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Referência da Pessoa Desaparecida, concluiu a investigação que apurava o desaparecimento de Ana Márcia Santiago (41 anos). O fato ocorreu em novembro de 2020 e, após acurado trabalho, apurou-se que a desaparecida foi vítima de crime de homicídio.  

“Importante salientarmos que as investigações foram deflagradas tão logo houve a notícia desse desaparecimento e, realizadas as provas técnicas objetivas, aferiu-se que houve de fato o transporte do corpo da Ana Márcia no porta-malas do veículo do seu marido”, conta a chefe do Departamento Estadual de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Letícia Gamboge.

De acordo com a chefe da DRPD, Maria Alice Faria, o suspeito teria alterado a cena do crime para ocultar vestígios. “Foi também encontrado sangue no quarto onde Ana Márcia dormia e o local foi todo desfigurado, paredes raspadas, o chão muito lavado. Ele mesmo disse que lavou o chão com material abrasivo, que pudesse retirar qualquer vestígio, mas ainda assim foi possível a constatação de sangue nesse quarto”, detalha.

Depois de matar a mulher e ocultar o corpo, o suspeito, passando-se pela esposa, ainda enviou uma mensagem do celular da vítima para a filha mais velha dela, dizendo que não se preocupasse porque ela iria para a casa de uma amiga. A delegada Maria Alice explica que, como o corpo ainda não foi localizado, não é possível saber como a vítima foi morta, no entanto, pela quantidade de sangue encontrada, pode-se mensurar uma dinâmica violenta.

O homem confessou ter arremessado o corpo da mulher no Rio Paraopeba, na divisa entre os municípios de Betim e Juatuba. As buscas pelo corpo de Ana Maria continuam, com apoio do Corpo de Bombeiros. Com base nas provas, foi requerida a prisão do suspeito, com expedição de mandado pela Justiça. Ele foi indiciado pelos crimes de feminicídio, ocultação de cadáver e fraude processual.